Termos "Facebook Ads" e "Google Ads" juntos a uma fita vermelha

Como funcionam os anúncios no Google e Facebook?

Google Ads (anteriormente conhecido como AdWords) e Facebook Ads são as duas mais importantes plataformas de campanhas patrocinadas do marketing digital. Queremos que você entenda, de uma vez por todas, como lucrar usando esses tipos de anúncios.

Ambos podem ser motivadores significativos para o seu negócio e muitas empresas usam os dois em congruência para maximizar seu alcance. Mas, como o tempo e o dinheiro são limitados, onde é possível começar a obter o maior retorno do seu investimento?

As duas plataformas de anúncios têm muitos pontos em comum, mas existem algumas diferenças significativas que determinarão qual é a mais adequada para sua empresa, nos casos em que não seja possível unir os esforços.

Tanto o Google quanto o Facebook se apresentam como plataformas fáceis de usar, no entanto, oferecem opções robustas de segmentação e recursos avançados. Além disso, leva muito tempo e energia para realmente se tornar um especialista em anúncios patrocinados.

Anúncios no Facebook e Google Ads: Quais são as diferenças?

Em primeiro lugar, o que são exatamente Google Ads e Facebook Ads? Certamente você já os viu antes ao acessar o Facebook ou pesquisar no Google! Mas como eles realmente funcionam?

Ambas são plataformas de publicidade que operam com base no pagamento por clique. Ao criar um anúncio em qualquer um deles, você entra em um leilão no qual dá um lance de quanto deseja pagar pelo espaço de anúncio. Então, você será cobrado por uma determinada quantia em dinheiro cada vez que alguém clicar em um de seus anúncios. Parece simples?

Google Ads

Pessoa segurando um smartphone cuja tela mostra o Google

Tradicionalmente, o Google Ads é pesquisa paga, o que significa que você está investindo para ter sua listagem apresentada em uma página de resultados de mecanismo de pesquisa (SERP).

Dessa maneira, seu anúncio é colocado com base em palavras-chave alvo, em vez de direcionar um interesse de público específico. Dito isso, você pode – e deve ajustar as configurações da campanha de pesquisa paga para segmentar os usuários com base na localização e em diversos outros fatores.

No entanto, o Google Ads oferece mais do que pesquisa paga – você pode anunciar em:

Pesquisa do Google;
Anúncios do Youtube;
Rede de Display do Google;
Google Shopping;
Google Maps;
Google Play.

Facebook Ads

Os Anúncios do Facebook oferecem publicidade social paga. Na esteira das mudanças no algoritmo dessa rede social, ficou cada vez mais difícil para as marcas chegarem aos clientes em potencial de forma orgânica.

Com os Anúncios do Facebook, você está pagando para chegar à frente de novos clientes nas redes sociais, em vez de alcançá-los organicamente. Como você provavelmente sabe, essa mídia não se limita apenas ao seu feed de notícias. Alguns dos canais de anúncio do Facebook em que você pode anunciar incluem:

Feed de notícias do Facebook;
Instagram Feed;
Facebook Marketplace;
Feeds de vídeo do Facebook;
Coluna direita do Facebook;
Messenger.

Comparação nº 1: tamanho do público

Tanto o Google quanto o Facebook têm um alcance enorme – o Google lida com mais de 5,8 bilhões de pesquisas todos os dias, enquanto o Facebook tem cerca de 1,73 bilhão de usuários ativos diários.

Na rede social, a receita de marketing mobile representa aproximadamente 90% + da arrecadação com publicidade. Dito isso, anunciar para smartphones certamente não é uma oportunidade da qual você deve se esquivar!

Com toda a probabilidade, seu público-alvo está nessas duas plataformas, então você não pode determinar o ajuste certo para seu negócio apenas com base no tamanho do público.

Em vez disso, pergunte-se o seguinte: Meu público-alvo é ativo nessas redes? Meu produto é voltado para a pesquisa ou social? Mesmo que o Google faça 5,8 bilhões de pesquisas por dia, não ajudará você se ninguém estiver realmente procurando pelo seu produto específico.

Você está lançando um produto novo e inovador? As pessoas já ouviram o que você oferece? Se a resposta for “não”, o Facebook costuma ser a melhor opção para divulgar a mensagem, até pelo fato de ser uma rede social que trabalha muito bem com o estágio de topo de funil de marketing.

Ilustração: pessoas segurando megafone enorme e dele saem elementos do marketing digital

O Custo Por Clique (CPC) médio varia não apenas por setor, mas também por canal. Um estudo da Adespresso mostrou que os anúncios de feed do Instagram custavam quase o dobro dos canais do Facebook!

Embora o CPC médio seja normalmente mais caro no Google Ads, lembre-se de que as pessoas que clicam em seus anúncios podem estar no final do ciclo de compra.

O Facebook é ótimo para aumentar a conscientização, embora o Google Ad possa muitas vezes ser melhor para alcançar os usuários no momento da decisão, ou seja, a plataforma é mais voltada ao meio e fundo do funil de vendas.

CPC é apenas metade da equação. Outro benchmarking a ser considerado é o CPA (Custo Por Ação) para determinar se você terá um forte ROI (Retorno sobre Investimento) em suas campanhas.

Benchmarking é o processo de avaliação da empresa em relação à concorrência, por meio do qual incorpora os melhores desempenhos de outras firmas e aperfeiçoa os seus próprios métodos.

Voltando ao nosso ponto: assim como o CPC, os CPAs variam de acordo com a campanha. Depende muito de quão bem direcionados seus anúncios são e se você consegue realizar uma alta taxa de conversão. Não deixe o que pode parecer um CPA médio alto afastá-lo do PPC.

Nº 2: intenção do comprador

Quando se trata dessa métrica, o Google Ads quase sempre vence os anúncios do Facebook. Considere que tipo de negócio você tem – as pessoas tendem a procurar seus produtos ou serviços quando já estão prontas para fazer uma compra? Por exemplo, se o ar condicionado de alguém quebrar, ela imediatamente começa a procurar uma empresa de reparos.

Anúncios no Google e Facebook

Os anúncios da rede de pesquisa colocariam sua empresa na frente de um cliente em potencial no momento exato em que ele precisava do seu serviço. Por outro lado, essa pessoa não vai se lembrar daquele negócio que viu no Facebook três meses atrás. Nesse cenário, o Google Ads seria um claro vencedor.

Os anúncios do Facebook também são geralmente menos eficazes em fazer com que os leads convertam rapidamente. As pessoas geralmente vão ao Facebook para relaxar e se socializar, não para fazer compras. No entanto, essa plataforma ainda é extremamente útil para construir seu público.

Se você puder criar um senso de comunidade nas redes sociais, as pessoas ficarão muito mais propensas a comprar quando precisarem do seu serviço ou produto. Dito isso, se o objetivo de sua campanha é criar conhecimento da marca, em vez de conversões imediatas, o Facebook pode ser a melhor escolha.

3: opções de segmentação

Os anúncios do Google e do Facebook oferecem opções de segmentação e redirecionamento de públicos específicos. Em ambas as plataformas, você pode segmentar por idade, sexo, localização e nível de renda, entre outras coisas. No entanto, o Facebook é o vencedor absoluto em opções de segmentação avançada.

Além das opções mencionadas, o Facebook permite que você crie públicos com base em uma grande lista de interesses e comportamentos, graças à riqueza de informações que eles coletam de seus 2,6 bilhões de usuários ativos mensais.

Quer atingir pais com famílias grandes e filhos entre 7 e 11 anos? Sim, é possível. Indivíduos solteiros que frequentam a noite da sua cidade? Essas pessoas estarão lá. Mulheres mães de apenas um filho menor de 4 anos? Simples, ela também faz parte da plataforma e você certamente irá encontrá-la.

Famílias que ganham de R$ 4 a 7 mil mensais também podem ser impactadas. Basta você aprender a realizar uma boa segmentação, ou contratar uma empresa com essa expertise.

Com o Facebook, você pode ser muito específico com seu público. Se o seu público-alvo for muito nicho, os Anúncios serão uma ótima opção para o seu negócio.

A rede social também oferece uma ferramenta útil chamada públicos semelhantes, que permite anúncios para pessoas semelhantes ao seu público existente. Para isso, usa seus dados existentes para combinar seus clientes com usuários semelhantes, o que pode ser uma opção muito poderosa para anunciantes.

Comparação 4: formatos de anúncio

Isso remete à pergunta: qual é o objetivo da sua campanha? Você certamente obterá mais criatividade no Facebook, o que o torna uma plataforma muito melhor para construir o conhecimento da marca e a fidelidade do cliente.

Se você usa o Google Ads, tem um pequeno bloco de texto para chamar a atenção dos clientes em potencial nas SERPs. É possível usar extensões para obter texto e informações adicionais, mas no geral seu formato será limitado aos anúncios da rede de pesquisa.

No Facebook, no entanto, você pode adicionar impacto visual à sua mensagem usando anúncios baseados em imagem. Essa plataforma continua a lançar diversos formatos para evitar a “fadiga dos anúncios”.

Entre as opções, vídeos, imagens, carrossel e muito mais para chamar a atenção do seu público. Se a sua empresa for de comércio eletrônico, o componente visual do Facebook deve ser uma grande consideração ao escolher a plataforma certa para você.

Qual plataforma deve ser escolhida?

Logotipo do Google Ads Vs Megafone escrito embaixo Facebook Ads

Então, o que é melhor para sua empresa: Google Ads ou Facebook Ads? Para decidir, faça a si mesmo algumas perguntas importantes.

Primeiro, considere os objetivos da campanha. O foco é vender o mais rápido possível? Nesse caso, o Google Ads pode ser a melhor escolha. Se procura expandir o reconhecimento da marca ou alcançar um público mais amplo, por outro lado, os anúncios do Facebook farão este trabalho com perfeita eficácia.

Em seguida, leve em consideração o setor de seu cliente. As empresas B2B (Business to Business, ou De Negócio para Negócio, em tradução livre) e B2C (Business to Consumer, ou De negócio para Consumidor, em tradução livre) usam o Google Ads com sucesso.

Os anúncios do Facebook costumam funcionar melhor para empresas B2C, especialmente aquelas que vendem itens menos caros, uma vez que as pessoas são mais propensas a comprar impulsivamente esses produtos após serem expostas a eles algumas vezes.

No entanto, mesmo para B2B, haverão oportunidades nos anúncios do Facebook – especialmente em casos de remarketing e públicos semelhantes.

O público do seu cliente também deve afetar a plataforma a ser escolhida. As pessoas procuram a empresa ou serviço do seu cliente com a intenção de comprar? Nesse caso, o Google provavelmente trará os melhores resultados. Mas se o seu cliente está tentando construir seu público para um novo produto, o Facebook normalmente funcionará melhor.

A nossa dica de ouro: considere qual estágio da jornada do comprador você está tentando atingir com os anúncio – o Google é ótimo para clientes em potencial no fundo do funil, enquanto o Facebook geralmente é melhor para atrair novos clientes em potencial no topo do funil.

Finalmente, considere o orçamento de marketing disponível e seu nível de habilidade técnica. Existe dinheiro para investir no Google Ads, mesmo se estiver em um setor competitivo? Você tem a capacidade de criar (ou terceirizar) uma imagem forte ou anúncios baseados em vídeo para o Facebook? Discutir questões como essa poderá ajudá-lo a esboçar uma estratégia que seja realista e acionável.

Os anúncios do Google Ads e do Facebook são duas opções excelentes para publicidade PPC e, em muitos casos, as duas plataformas funcionam melhor se usadas juntas.

Dicas para o seu Google Ads

Confira todas elas, para realizar uma campanha potente!

1. Use os tipos correspondentes de palavras-chave corretos

A publicidade PPC é um canal de marketing de atribuição direta, e o Google Ads depende da intenção do usuário por meio de palavras-chave. Sempre que alguém digita uma consulta de pesquisa no Google, os anúncios são exibidos com base em quão relevante o sistema de leilão considera o termo de pesquisa, e então exibe um anúncio de acordo com isso.

Existem quatro tipos de correspondências de palavras-chave, ou seja, quatro maneiras possíveis de “dizer” ao Google para lidar com as que você usou.

– Ampla: esta é a rede mais ampla que pode ser criada e corresponderá às pesquisas com qualquer termo e ordem (incluindo sinônimos) que incluam a palavra-chave alvo. Essa opção é mais voltada ao tráfego, pois os anúncios aparecerão frequentemente. Como ele não é tão nichado, esse tipo de correspondência é recomendado para quem tem um orçamento diário maior.

– Ampla modificada: este tipo de correspondência é a segunda rede mais ampla que pode ser lançada. Ao contrário da correspondência ampla, que pode permitir que seu anúncio seja exibido para qualquer palavra-chave na frase em que você está fazendo o lance, a correspondência ampla modificada informa ao Google “ele deve ter todos esses termos na consulta de pesquisa, porém em qualquer ordem ou canal”.

– Frase: este modificador mostrará seu anúncio apenas quando os pesquisadores usarem a composição exata que você especificar. A consulta deve conter todas as palavras-chave anotadas, na ordem específica em que foram inseridas. As aspas (“) entre a palavra-chave são o indicador utilizado na hora de configurar a correspondência de frase no Google Ads.

– Correspondência exata: este modificador de palavra-chave é semelhante à correspondência de frase; tradicionalmente, seus anúncios só serão exibidos com a consulta de pesquisa exata inserida, mas o Google relaxou um pouco isso, mostrando seu anúncio para coisas como erros de ortografia, versões no plural de uma palavra ou inferindo palavras-chave intercambiáveis ​​para o que você especificou.

2. Preencha todo o conteúdo do anúncio disponível

Desde seu lançamento em 2016, os anúncios de texto expandidos (ETAs) tiveram um impacto substancial no mundo do Google Ads. Ao oferecer espaço adicional para conteúdo relevante, os ETAs fornecem aos gerentes uma excelente maneira de contar uma história sobre o produto ou serviço. Se deseja que seus anúncios tenham um desempenho melhor, certifique-se de preencher todos os campos de informações disponíveis.

Os anúncios de texto expandidos são semelhantes aos anúncios de texto que você já conhece, mas com algumas diferenças importantes.

Os anúncios de texto expandidos têm três campos de título. Os dois primeiros campos de título são obrigatórios, mas o terceiro é opcional. Com o campo de título adicional, você pode incluir mais texto nos anúncios. É possível usar até 30 caracteres por título.

Os títulos aparecerão um ao lado do outro, separados por um traço vertical (“|”). Dependendo do tamanho da tela do cliente em potencial, eles podem ocupar uma segunda linha. O terceiro título pode aparecer com mais frequência em dispositivos móveis maiores.

Os anúncios de texto expandidos também têm dois campos de descrição com 90 caracteres, o que permite ter mais controle sobre as mensagens do seu anúncio.

O domínio do URL de visualização tem como base o domínio do URL final. O Google Ads usa o domínio do seu URL final como URL de visualização do anúncio. Por exemplo, se o URL final for www.example.com/externo/caminhada/calcados, o URL de visualização do anúncio será exibido como www.example.com.

O URL de visualização pode incluir dois campos “Caminho” opcionais. Você pode combinar o URL de visualização com até dois novos campos “Caminho” opcionais. Esses campos são adicionados ao URL de visualização depois do domínio do website. Desse modo, você pode adicionar um texto para ajudar as pessoas que visualizam o anúncio a ter uma ideia melhor da página que acessarão ao clicar nele.

O texto que você coloca nos campos “Caminho” não precisa necessariamente fazer parte do URL do website, mas deve estar relacionado ao conteúdo da página de destino.

Então, se o URL final for: www.example.com/externo/caminhada/calcados, convém usar “Caminhada” e “Calcados” como texto do caminho para que o URL de visualização do anúncio seja: www.example.com/Caminhada/Calcados

Os anúncios de texto expandidos são otimizados para dispositivos móveis. Uma visualização do seu anúncio no formato para computadores e dispositivos móveis é gerada para você durante a criação do anúncio de texto expandido.

Os anúncios de texto expandidos estão disponíveis na rede de pesquisa e na Rede de Display do Google. As extensões de anúncio (automáticas e manuais) também são totalmente compatíveis com os anúncios de texto expandidos. Saiba mais sobre como escrever anúncios de texto eficientes

(Informações: Suporte Google)

3. Ajuste de lances para segmentação geográfica

Não importa o seu mercado ou indústria, você pode se beneficiar concentrando investimentos de marketing em localizações geográficas específicas. Reveja de onde vem seu envolvimento para priorizar os gastos com mídia nessas áreas.

Indústrias locais, como apartamentos, hotéis e advogados, muitas vezes qualificam seus clientes ideais pela proximidade que vivem de seus escritórios físicos, mas o desempenho da segmentação geográfica não se limita a isso.

Mesmo que seus produtos e serviços não dependam da localização física de seus clientes, ainda é possível otimizar suas campanhas com lances segmentados por área geográfica com base na sazonalidade, clima e necessidades do usuário.

Por exemplo, se a sua empresa comercializa biquínis, uma boa saída é dar lance negativo em áreas mais frias do país, já que as pessoas nesses estados provavelmente não precisarão do seu produto e será um desperdício de dinheiro em cada clique de locais onde o uso dessas peças não é tão frequente.

No entanto, você aumentaria os lances com segmentação geográfica para cidades que sofrerão um aumento de turistas durante o verão, por exemplo.

Muitos iniciantes do Google Ads se esquecem de considerar as necessidades de seus diferentes tipos de clientes e outros qualificadores com base na localização física de seu público.

É possível economizar muito dinheiro impedindo a exibição de anúncios em algumas áreas, enquanto aumenta a probabilidade de uma conversão e aumenta o ajuste de lance em outras.

Dicas para anúncios no Facebook

Imagem com fundo azul no tom do Facebook com um notebook onde se pode ler "Ads"

Os anúncios do Facebook são incrivelmente versáteis. Entender como tirar o máximo proveito de uma plataforma tão multifacetada e de longo alcance permitirá que você atinja quase qualquer público-alvo com facilidade. O potencial de personalização é incomparável.

1. Crie várias versões do texto do anúncio

Não importa a proficiência de seu redator, sempre haverá um elemento do desconhecido quando se trata de redigir seu novo anúncio no Facebook. Quase invariavelmente haverá pelo menos alguma incidência de arremesso suficiente na parede para ver o que gruda, por assim dizer – especialmente se você ainda não executou testes A / B extensos.

Crie vários conjuntos de texto do anúncio. Escreva um punhado de manchetes e textos que combinem bem entre si. Cada conjunto deve enfocar uma mensagem principal diferente, abordar um ponto problemático alternativo e ser redigido em um estilo e tom distintos. Experimente a estrutura: você já tentou pontos com marcadores, frases mais curtas, parágrafos mais longos? O Facebook tem uma função chamada Criativo dinâmico, que permite adicionar até cinco títulos, descrições e imagens ao seu anúncio. A função, em seguida, combina estes em diferentes permutações com diferentes CTAs e determina qual funciona melhor.

2. Mantenha a frequência baixa – e a relevância alta

O Facebook Ads tem duas métricas que muitos anunciantes ignoram: frequência e pontuação de relevância. Simplificando, a frequência é uma média de quantas vezes os usuários individuais veem versões idênticas de seu anúncio. Idealmente, sua frequência deve ser mantida em no máximo três.

Qualquer coisa mais alta e pode começar a prejudicar sua campanha. Pense da seguinte maneira: se um usuário viu o mesmo anúncio dez vezes e ainda não converteu, é muito improvável que o faça.

Para manter sua frequência baixa, procure ter um público grande o suficiente para que seu anúncio circule por diferentes indivíduos a uma taxa sólida. Se você dimensionar seus gastos com publicidade, lembre-se de ficar de olho para ver se isso está afetando sua pontuação de frequência.

Que tal a métrica de relevância? Essa pontuação, ao contrário, deve ser a mais alta possível. O Facebook classifica seu anúncio em uma escala de um a dez para ver se ele é pertinente para o seu público.

Engajamentos positivos, como curtidas, visualizações, comentários, cliques e compartilhamentos irão aumentar sua pontuação. Engajamentos negativos, como usuários tomando medidas para realmente ocultar seu anúncio de seu feed, inevitavelmente diminuirão sua pontuação.

3. Sempre priorize o conteúdo Mobile First

O Google prioriza o conteúdo que foi criado para celular, e você também deve fazer quando se trata de seus anúncios no Facebook. A realidade é que o conteúdo personalizado para desktop nem sempre é traduzido bem para celular – mas o oposto não é verdade.

Em outras palavras, o material feito pensando no celular geralmente é traduzido perfeitamente em um desktop. Portanto, sempre adapte seus anúncios para mobile; dessa forma, você tem mais chances de alcançar um público pelo qual está lutando para ser visto.

Certifique-se de que seu anúncio esteja de acordo com as práticas recomendadas para celular. Isso significa vídeos verticais para que os usuários móveis possam facilmente em tela cheia sem ter que virar o telefone. São considerações aparentemente pequenas como essa que podem realmente diferenciá-lo dos seus concorrentes.

Conclusão

Inbound Marketing é um conjunto de técnicas que, embora não seja uma novidade, muitos gestores ainda resistem para incorporar em suas empresas. Integrar as ações de Inbound com Google Ads é um passo necessário para qualquer negócio que deseja prosperar.

Facebook e Google Ads

Ambas plataformas trazem muitas vantagens para os negócios, sejam eles de pequeno, médio ou grande porte. A integração dos serviços, mesmo sendo a melhor estratégia, é opcional.

No entanto, na hora de escolher, é importante pensar no estágio de funil do seu público, nos seus objetivos imediatos e em maneiras de fazer uma segmentação perfeita!