Escolha uma Página
Os novos hábitos de consumo e o pós pandemia

Written by REDdigital

17 de julho de 2020

A pandemia do novo coronavírus trouxe para muitas empresas mudanças e oportunidades de se reinventar no mercado e novos hábitos para os consumidores.

Para os profissionais de marketing, por exemplo, essa nova maneira de vender produtos/serviços trouxe outras percepções ainda não levantadas de como conquistar o consumidor final.

Com isto, também se descobriu novos hábitos de consumo do público em meio a adaptação na rotina de quarentena em diversas cidades brasileiras e também pelo mundo. Desde o início da luta contra o covid-19, por exemplo, grande parte da população tem trabalhado em casa, visto isso, diversos comportamentos do dia a dia também se transformaram.

Como por exemplo:

As compras online

Alguns dados demográficos, com consumidores mais velhos, já revelaram que poder ficar no conforto de casa, enquanto recebe os alimentos e produtos por serviço Delivery, teve uma enorme adesão desde o início da quarentena em vários municípios.

Para esse público, que não tinha muita afinidade com o mundo digital, muita coisa mudou bastante, pois cerca de 40% dos atuais compradores online fizeram a primeira compra em março, de acordo com os estudos da SmartCommerce.

 “As pessoas são forçadas a fazer coisas novas e isso vai acelerar a transformação digital”, opina Marsden.

Novos hábitos pandemia

Os 4 pilares dos impactos do covid-19 no mercado

Para o Huff post Brasil, de forma geral, desde fevereiro de 2020, temos alguns pontos fundamentais para as marca, no que se refere a hábitos de consumo e comunicação, são eles:

Impacto radical

O impacto não previsto afetou diretamente todas as pessoas de uma forma única. Isto, por sua vez, gerou um choque social e ao mesmo tempo colocou as marcas contra parede por um posicionamento.

As especialistas do mundo sobre marketing digital e estratégias de vendas online, são praticamente unânimes ao dizer que a velocidade e a humanização da comunicação nesse cenário são essenciais.

Novos comportamentos

Seria inevitável as pessoas não terem novos comportamentos em meio ao impacto radical que a pandemia tem causado.

Por serem obrigados a ficar em casa, por exemplo, existe a necessidade de se adaptar ao novo cenário, que para muitos nunca foi experimentado, como é o caso do trabalho remoto e as compras online.

 Cultura

Com todas essas mudanças na cabeça da sociedade, iniciou-se também um processo de mudança de cultura.

Obviamente,

a velocidade que isso ocorreu foi bastante surpreendente desde o início do distanciamento social e ainda não sabemos se é ou não um caminho sem voltar.

A imposição do trabalho home office, para mais de 50% das empresas Brasileiras, por exemplo, levou a população a fazer uma breve comparação sobre como é executar as demandas na organização e no conforto do lar.

Por exemplo:

segundo pesquisas, cerca de 74% dos profissionais ficaram preocupados com a perda do emprego e 52% deles estão trabalhando mais do que antes neste período.

 

Hábitos de Consumo

Com todos esses pontos, o consumo começou a ser questionado pelas pessoas, não apenas o tradicional, mas a forma e onde consumimos. Isto, por sua vez, ficou claro no movimento que ajudou diversos microempreendedores pelo país, o “Compre do pequeno”.

 Esse tipo de ação, foi incentivada até mesmo por uma das redes sociais mais conhecidas e populares, o Instagram; eles criaram um adesivo especial para também ajudar os empresários dos bairros durante esses tempos de crise.

Nem home office, nem escritório! Será mesmo?

Durante a Expert 2020, o Maior evento de investimentos do mundo, o Diretor do Linkedln, falou sobre erros e acertos na adaptação do mercado ao home office, para o InfoMoney.

Segundo ele, Milton Beck o escritório não voltará a ser como antes, pois, ainda que uma dose de esperança tenha surgido ao longo dos últimos meses durante a adoção do trabalho remoto, entramos em um caminho sem volta.

“Empresas que não acreditavam na viabilidade do home office passaram a acreditar mais e funcionários que achavam que o home office era solução da vida deles, agora acham que é bom passar alguns dias em casa e outros no escritório. Então, caminhamos para um mundo intermediário daqui pra frente”, contou Beck ao Info Money durante a participação na Expert XP 2020.

Ele também citou outro ponto muito importante provocado pela crise. De acordo com o diretor geral da plataforma antes da pandemia, a rede tinha cerca de 200 mil novas vagas de trabalho disponíveis a cada mês, hoje são apenas 150 mil.

Apesar dessa queda no número de posições, Berck afirmou que o mercado caminha para estabilidade, mesmo ainda em meio a luta do novo vírus.

 

5 fases da quarentena, segundo Thinking Google

Nas empresas, agências ou até mesmo entre a população conectada, a pandemia acelerou o processo de digitalização no dia a dia de muitas pessoas. Com isto, surgiram as novas dinâmicas e adaptações em nossa rotina, como já citamos algumas acima:

  • Trabalho
  • Estudos
  • Tarefas domésticas
  • Ofertas de Produtos e serviços
  • Nova maneira de consumir

Se antes, a casa era sinônimo de acolhimento, hoje nossas demandas pedem um espaço cada vez mais prático e funcional. Visto isso, em tempos de distanciamento social, para os empresários, é necessário que as vendas sejam realizadas de maneiras digitais para melhor atender as expectativas do público.

Diante dessas mudanças de comportamento que estão sendo refletidas em diversos setores, o Think with Google fez um levantamento interno das 5 fases da quarentena até o momento. Confira:

Fase 1: Redução de risco

Onde houve o aumento de buscas por álcool em gel, máscaras, sabão e papel higiênico;

Fase 2: Abastecimento para potencial quarentena

Quando a pandemia deu sinal de piora e foi decretado distanciamento social e isolamento em diversas cidades e consequentemente houve o aumento de buscas por alimentos

Fase 3:  Entretenimento

Aumento de buscas por livros, serviços de assinatura, buscas no Youtube e lives de artistas nas plataformas digitais

Fase 4: Momento adaptação

Adaptação ao home office, compras online, principalmente por móveis, TV’s, Tablets e celulares, e busca por exercícios em casa;

Fase 5: Nova Rotina e novos gatilhos de consumo

Momento onde houve o aumento de buscas por consoles, moda e beleza, bem-estar;

 

Em conclusão, 

A pandemia trouxe uma aceleração digital para muitas marcas e o consumidor também teve que mudar alguns hábitos em sua rotina.

O distanciamento social levou as pessoas a se aproximarem mais por meio das plataformas digitais, tem apresentado novas oportunidades de mercado para pequenos e médios empresários e ainda vem modificando diversas vertentes pelo mundo.

O que nos resta neste momento de inúmeras incertezas é a adaptação ao “novo normal”. Se reinventar, buscar oportunidades e crescer em meio a tantos desafios não tá tão fácil, mas não é algo impossível.

Com um planejamento estratégico sua marca pode alcançar um posicionamento relevante no mercado.

Quer saber como? Faça agora um raio-x Digital da sua empresa!

Últimas do blog

Representatividade e a corrida do marketing

Representatividade e a corrida do marketing

A corrida do marketing das marcas para se adequar às mudanças constantes do mundo e aos discursos sociais. Em meio a tantos casos de racismo, protestos e uma pandemia mundo afora, diversos negócios estão sendo obrigados a mudar a maneira de se posicionar no mercado....

Como gerar mais tráfego com o Marketing de SEO

Como gerar mais tráfego com o Marketing de SEO

O Marketing de SEO é um elemento fundamental para gerar mais tráfego, visibilidade e leads mais qualificados no site das empresas. Em um momento de inúmeras incertezas, as empresas estão em busca de saídas e soluções para manter...

Data Driven e o futuro do marketing digital

Data Driven e o futuro do marketing digital

O Data Driven é uma estratégia para obter dados e informações relevantes para que uma empresa tenha conhecimento profundo sobre o seu público e assim construa ações mais segmentadas. A qualidade e a quantidade de dados de...